11 de fevereiro de 2017


     Reinoldo Atem, declaradamente curitibano, nasceu em 1950, no Piauí, morou em Londrina e em São Paulo. A sua poesia guarda as imagens de uma Curitiba sem os delírios de modernidade. Como consequência, seus melhores poemas não pagam o tributo para o verso curto ou para a modernidade epidérmica. Muito pelo contrário, os seus bons poemas são longos, bem articulados e revelam o domínio da macroestrutura da linguagem.
     Participou e publicou:
     - 4 Poetas - coletânea - Editora Cooperativa de Escritores - Curitiba, 1976.
     - Tempos - coletânea de poemas - Editora Pindaíba, São Paulo, 1976.
     - O Conto da Propaganda - coletânea de contos - Editora Vertente, São Paulo, 1979.
     - Assim Escrevem os Paranaenses - coletânea de contos - Editora Alfa-Ômega, São Paulo, 1977.
     - Sala 17 - coletânea de poemas - Movimento Sala 17, Curitiba, 1978.
     - 1971 - novela - Editora Beija-Flor, Curitiba, 1978. (reeditada pela editora Inverso em 2015).
     Foi um dos fundadores e editores da revista de jornalismo cultural e literatura Outras Palavras (1978) e da revista de criação ZéBlue (1980).
     Publicou poemas e contos em:
     Revista Escrita (São Paulo), Jornal Movimento (Minas Gerais), Suplemento da Tribuna de Imprensa (Rio de Janeiro), Jornal O Saco (Ceará), Jornal Saga (Minas Gerais), Queda de Braço (Rio de Janeiro), Jornal O Estado (Santa Catarina), Jornal Totem (Minas Gerais), Jornal Folha de Londrina (Paraná), Jornal Diário do Paraná, Jornal O Estado do Paraná.

Eliane Bertulio

Nenhum comentário:

Postar um comentário